Melhores vilões dos games (parte 1)


Existem personagens que, por serem incrivelmente carismáticos, marcantes e bem desenvolvidos, conseguem fazer o "lado negro da força" parecer incrivelmente bom. Isso ocorre em qualquer mídia como: filmes, séries, desenhos, HQ's e, é claro, games. Por isso, vou falar hoje sobre alguns dos nossos malvados favoritos.

Big Boss (Naked Snake) - Metal Gear 

 Ok, ele também é considerado protagonista em alguns games, e é muito amado por vários gamers por seu desenvolvimento e carisma (assim como vários outros personagens do mestre louva-a-deus Hideo Kojima), mas é exatamente por termos essa diferença de perspectiva que o faz ser um excelente antagonista e personagem em geral.

Seu desenvolvimento e complexidade deixa claro a ideia de que, no ponto de vista dele, Big Boss (ou Snake, se preferir) não é um vilão. Suas motivações e ações exibem uma série de elementos que dão lógica ao ponto de vista desse personagem, tanto que, para o total entendimento sobre este, é necessário jogar ou, no mínimo, pesquisar sobre os vários jogos que ele aparece ou que é citado (praticamente todos).

A franquia Metal Gear está recheada de personagens bem desenvolvidos, dentre eles, vários vilões como The Boss, Revolver Ocelot, Liquid Snake, Skull Face e muitos outros, mas eu optei em colocar o Big Boss, por, além de ser um dos personagens mais importantes da franquia (se não o mais importante), ele ter a habilidade de deixarmos pensativos quanto à sua posição como protagonista ou antagonista (coisa que o próprio Big Boss acaba parando para refletir, no final).

O último game da franquia, Metal Gear Solid V: The Phatom Pain, serve exatamente para cobrir alguns "buracos" deixados no enredo da franquia (o que faz muito bem) e falar, de forma metafórica, sobre a transição de Big Boss em "o homem que vendeu o mundo" .

Vaas Montenegro - Far Cry 3

 Far Cry 5 está para chegar no início do ano que vem com um novo vilão, possivelmente mais uma pérola de antagonista, já que a franquia principal, desde o terceiro game, tem acertado nos vilões, sendo Vaas em Far Cry 3 e Pagan Min em Far Cry 4.

Pagan Min é um excelente vilão, mas vou falar sobre o Vaas nessa matéria, pois, assim como em Metal Gear, ficar falando muito sobre vários vilões de um mesmo game, estenderia muito a matéria. Por tanto, vou usa-lo como representante da franquia.

Vilões mentalmente instáveis já são muito bem recebidos pelo o público em geral, prova disso é o nosso querido Coringa, mas Vaas consegue fazer com que o protagonista (Jason Brody), e o jogador, acabam, inconscientemente, assumindo sua loucura aos poucos.

Espero que isso não conte como Spoiler, mas a tramas do game gira em torno basicamente disso, tanto que as telas de loading desse game é recheada de frases referentes a, por exemplo, "Alice no País das Maravilhas". Tudo isso, e um acontecimento inusitado na metade do game, fazem Jason e o jogador perderem o foco de seus objetivos, fazendo ambos se perderem em seus caminhos.

E aí, "Você sabe qual é a definição de insanidade?"

 Saren Arterius - Mass Effect 1

 Esse pode não ser conhecido por muitos, mas é, sem dúvidas, um dos melhores personagens da franquia, sendo o meu antagonista favorito dela, mesmo sem ele ser o principal vilão.

Tendo em vista que ele viu o que aconteceria com a galáxia no futuro, Saren, o maior "Spectre" (um agente espacial de último nível) da Via Láctea, acaba se "bandidando", se tornando aliado dos Reapers, os grandes vilões da franquia toda.

Seu ponto de vista é algo que faz todo sentido, já que, com o decorrer da franquia, é visível que a batalha contra os Reapers é praticamente impossível de se ganhar, tanto que os games apresentam vários finais com diversas alterações em inúmeros pontos da história.

A interação com Saren é algo que também pode mudar completamente no game, tendo em vista, que os jogadores controlam Sherpard o(a) primeiro(a) humano(a) Spectre, sendo que os Turians (raça do Saren) já tiveram sua rixa com os humanos. Essa relação entre os dois abre portas para diversos pontos de vistas que permitem entender esse vilão melhor e, inclusive, faze-lo pensar melhor sobre o que ele está fazendo.

Para entender esse personagem, assim como todo universo de Mass Effect, é preciso jogar com muita calma e, se possível, mais de uma vez, além de pesquisar outras mídias de conteúdo, como HQ's, livros e filmes.

Comstock (o profeta) - Bioshock Infinite

Viagens no tempo ou interdimensionais dão muito trabalho e podem acabar fazendo um enorme confusão, mas, quando bem feitas, fazem com que qualquer pessoa fique presa atrás da telona ou do controle do vídeo game, como é nosso caso.

Bioshock Infinite é, sem dúvidas, a segunda situação, o que, de quebra, ainda traz uma tonelada de personagens carismáticos e importantes. Eu fiquei muito na dúvida em qual personagem trazer para ser nosso vilão dessa franquia, Comstock ou nossos adorados Big Daddies. Bem, foi difícil e espero que não me odeiem por isso, mas, como está no título, vou falar sobre o Comstock, porém vou explicar o porquê.

Comstock é o grande vilão do terceiro game da franquia, sendo, diferentemente dos Big Daddies, incapaz de ser adorado como eles, mas sua complexidade é tão grande que muitas pessoas não conseguiram nem entender o final do game, e ainda ficaram se perguntando como era possível existir as histórias das Dlc's com esse final. A questão é que o plot twister sobre esse personagem, o que abrange outros também, é muito grande, sendo que quando falo dele, acabo analisando outros também.

Sua motivação é extraída de uma escolha diferente da que deveria ter sido (estou tentando encobrir o máximo de spoiler possível), fazendo-o tornar um homem diferente do que ele era, isso é visível, pois com o de correr do game, podemos comparar esses "dois homens" muito facilmente. Isso faz o jogador pensar em como uma pequena escolha pode mudar tudo em suas vidas (Teoria do Caos).

Veja bem, essa pequena mudança nele, fez com que ele criasse Columbia (a cidade flutuante do game), criasse toda uma adoração de seu povo por ele (pelo menos, grande parte dele), além de ocultar a realidade de várias coisas para os moradores dessa cidade, sendo que esta sofre verdadeira ditadura maquiada.

Recomendo que fiquem atentos ao final do game e toda sua história, pois a interpretação dele é um tanto quanto aberta, pelo menos à primeira vista. Se possível, jogue o game outra vez, é estranho isso, mas, na minha interpretação, esse é um game que com apenas um final, consegue ter vários.

"Todos fazemos escolhas, mas no final, nossas escolhas nos fazem" - Andrew Ryan, Bioshock.



Bem, "isso é tudo pessoal". Espero que tenham gostado. Coloquem aí nos comentários o que acham desses vilões ou se têm algum personagem que vcs acham que deveriam entrar na continuação da matéria.

"Ser um vilão nem sempre é querer o mal, mas sim ter um pensamento diferente daqueles que acham estar fazendo o bem" (X-Men: Primeira Classe).

 


 

Comentários

  1. "Você sabe qual é o significado de insanidade?" - Montenegro, Vaas

    ResponderExcluir

Postar um comentário